domingo, 24 de abril de 2011

ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA E PROTEÇÃO À MATERNIDADE E À INFÂNCIA DE MOSSORÓ-APAMIM

Fundada em 19 de abril de 1941, a Associação de Assistência e Proteção à Maternidade e à Infância de Mossoró (Apamim) nasceu com o propósito de ser uma entidade filantrópica, visando atender as necessidades da população carente de Mossoró e municípios circunvizinhos. Por sete décadas, essa filosofia pautou todos os atendimentos da unidade, que hoje é referência na região.

Em seus primeiros anos, a Apamim implantou a primeira maternidade do município, batizada com o nome de Maternidade Almeida Castro, homenagem ao médico e político que dedicou 40 anos de sua vida profissional à cidade. Dez anos depois, em 1951, foi fundada a Casa Saúde Dix-sept Rosado, integrando o complexo hospitalar.

Ao longo destas décadas, a associação foi crescendo e se especializando, tanto em equipamentos quanto em serviços e mão de obra qualificada. Atualmente, o complexo é referência em saúde e atendimento, além de dispor serviços essenciais para cidadãos de Mossoró e cidades vizinhas.

Hoje, a maternidade pioneira na cidade tornou-se a única da região, realizando uma média de 600 partos por mês. A maternidade realiza cirurgias eletivas, ginecológica e geral e oferece atendimento às gestantes 24h e mantém uma média de 40 consultas por dia, segundo informa o diretor da unidade, André Néo.

Conforme o diretor, a maternidade conta ainda com leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) adulto, de UTI Neonatal e de Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) Neonatal. Nos leitos da UTI Neonatal e UCI, o hospital mantém um atendimento médio de 30 a 20 bebês por mês. "Esses serviços têm ajudado a salvar muitas vidas de recém-nascidos", destaca.

Para acompanhar a gestante desde os primeiros meses de gestação até o nascimento, a maternidade desenvolve os projetos Parto Feliz, Mãe Canguru, Aleitamento Materno, Amigo da Criança e Programa de Pequeno Cidadão no fornecimento da certidão de nascimento e teste do pezinho.

Além dos procedimentos obstetrício e materno, a associação mantém parcerias para realização de serviços essenciais, como hemodiálise, cirurgias oncológicas e neurológicas. "Esses procedimentos são realizados nas dependências da própria unidade", informa André Néo.

De todos os atendimentos realizados na Casa de Saúde Dix-sept Rosado e Maternidade Almeida Castro 80% são provenientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Os demais atendimentos são feitos por meio de consultas particulares e através de convênios, a fim de suprir as necessidades com custo operacional do hospital.

Para o presidente da Apamim, o médico Laíre Rosado, a entidade vem conseguindo cumprir a sua proposta inicial, que é atender a comunidade da melhor maneira possível. Ele enfatiza que neste cenário de crise que a saúde vem enfrentando em todo o país, celebrar 70 anos de história é motivo de grande comemoração.

"Nos últimos anos, em Mossoró, a crise na área da saúde fez com que sete hospitais fechassem suas portas. E apesar de todas as dificuldades, estamos conseguindo manter o nosso atendimento e oferecer um serviço de qualidade à população de Mossoró e região", frisa Laíre Rosado.
FONTE: JORNAL O MOSSORÓENSE (17/10/1872), EDIÇÃO DO DIA 19 DE ABRIL DE 2011(TERÇA-FEIRA) 

MAIS

MAIS

MAIS

APAMI DE ANTÔNIO MARTINS-RN

MATERNIDADE DR.ANTONIO MARTINS É MANTIDA PELA APAMI

LEI Nº 9.343, DE 19 DE ABRIL DE 2010.

Dispõe sobre o reconhecimento de Utilidade Pública da Associação de Proteção à Maternidade e à Infância de São Miguel/RN – APAMI e dá outras providências.

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE:

FAÇO SABER que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º Fica reconhecida como de Utilidade Pública a ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO À MATERNIDADE E À INFÂNCIA DE SÃO MIGUEL/RN – APAMI, com sede e foro jurídico na cidade de São Miguel, neste Estado.
Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as
disposições em contrário.

Palácio de Despachos de Lagoa Nova, em Natal, 19 de abril de 2010, 189º
da Independência e 122º da República.
IBERÊ FERREIRA